Curiosidade: A Terra está girando tão rápido que talvez seja necessário pular um segundo

HomeBlogCuriosidade: A Terra está girando tão rápido que talvez seja necessário pular um segundo
earth-11015_1280

Curiosidade: A Terra está girando tão rápido que talvez seja necessário pular um segundo

Cientistas dizem que talvez seja necessário cortar um segundo inteiro do ano

VICTOR TANGERMANN, 8 DE JANEIRO DE 2021 (matéria original traduzida de https://futurism.com/earth-spinning-fast-skip-second

Imagem de WikiImages por Pixabay

Os cientistas fizeram uma observação surpreendente: a rotação da Terra está se acelerando. Na verdade, a Terra está girando mais rápido do que nunca, como relata o Phys.org - e não, isso não é figurativamente falando.

Uma rotação em torno do eixo da Terra equivale a 24 horas, ou cerca de 86.400 segundos. Embora este período tenha sido bastante consistente, apesar das variações causadas pelo movimento do núcleo derretido da Terra ou do clima, um giro acelerado pode em breve levar à necessidade de um "segundo bissexto negativo". Em outras palavras, pela primeira vez, podemos precisar cortar um segundo inteiro do ano porque o mundo está girando mais rápido.

O dia mais curto já registrado usando relógios atômicos foi 19 julho de 2020, como hora e data assinala, com duração de 1.4602 milissegundos menos que o equivalente a exatamente 24 horas. O recorde anterior foi medido em 5 de julho de 2005.

Os cientistas também preveem que o ano de 2021 pode acabar sendo o mais curto em décadas - por uma pequena margem, é claro.

Para trazer os relógios de volta à sincronia, os cientistas estão sugerindo que cortemos um segundo inteiro de um dia, também conhecido como segundo bissexto negativo. Seria a primeira vez que um segundo foi cortado; os últimos 27 segundos bissextos foram todos positivos, uma tendência que foi introduzida em 1972, de acordo com Hora e Data , o que significa que um segundo foi adicionado.

Embora a causa exata ainda não seja totalmente clara, os cientistas sugeriram no passado que pode ter algo a ver com o aquecimento global, já que o derretimento das geleiras pode interferir na distribuição de massa do planeta ou nos processos geológicos muito abaixo de sua superfície.

Independentemente da causa, o simples ato de cortar um segundo de um dia pode acabar tendo consequências desastrosas para as tecnologias modernas, como aponta Phys.org .

É por isso que muitos cientistas estão pedindo uma mudança do Tempo Atômico Solar para o Tempo Atômico Internacional, que é baseado em uma rede internacional de relógios atômicos sincronizados.